SLIDER

JOANA CARDOSO


PORTO,PT
27 anos, plus-size blogger e fotógrafa

Travel Guides

Hair Talk

 

Vamos falar sobre cabelo.
Pode até parecer um assunto muito fútil mas vou falar com ele sobre uma razão,sobre perde-lo, uma coisa que quem passa por ela sabe o que custa, e para alguém que tem tanto amor pelo cabelo como eu, notar que o perde custa bastante. Mas comecemos pelo princípio.

Quando era eu pequena tinha muito cabelo, talvez dizer muito seja dizer pouco, porque eu tinha cabelo para dar, vender e oferecer, tanto que a ouve alturas em que o meu cabelo teve de ser cortado realmente curto porque eu não deixava que ninguém me penteasse porque para mim era um processo longo e doloroso (eu era uma parida,por assim dizer). Eu nasci até com imenso cabelo, a minha madrinha que esteve no parto, os meus pais, toda a gente fala disso, como eu era pequenina e já tinha tanto cabelo, de tal maneira que até as senhoras enfermeiras decidiram brincar com o dito e fazer-me um caracol todo engraçado.
Os anos passaram, o cabelo era forte como tudo até mais ou menos eu ter 15 anos, altura em que comecei com uma depressão, mudei de escola, os hábitos alimentares variavam entre não comer nada ou comer porcarias e o meu cabelo ressentiu-se. A princípio não dei grande importância, só tinha a cabeleireira a dizer que tinha o cabelo mais fino e eu não me importei nada, porque assim para mim nem perdia tanto tempo a escovar a minha querida cabeleira. Mas mais ou menos em 2010 comecei a notar que as coisas não estavam bem, mas tentei esquecer isso, porque não queria pensar em perder o meu rico cabelo. Veio 2011 e ai assim fiquei assustada, vinham bocados de cabelo a sair em cada banho, o meu irmão gozava comigo e comecei então com um tratamento da Vichy, tal como sabem, depois de falar com várias pessoas sobre o assunto. 
O tratamento ajudou muito, o meu cabelo deixou de cair tanto, ficou mais forte e até consegui alguns pequenos cabelinhos novos na zona aonde mais o perdia, mas mesmo assim não fez milagres.
Desta última vez que cortei o cabelo só me apetecia chorar no cabeleireiro, pois já tinha entrado com vergonha de verem a minha cabeça com o cabelo como ele está, e depois a cabeleireira foi uma querida e falou comigo e com a minha mãe. Cabelo atrás tenho eu muito, forte, segundo ela tenho uma cabeleira digna  de leão, mas em cima, e na zona mais chegada à testa e têmporas a coisa fica feia. O cabelo está fino, nota-se muito a zona do escalpe e é uma coisa que me custa imenso.

Assim sendo tenho amanhã uma consulta marcada no dermatologista, porque está na hora e mais do que na hora de por um travão a esta situação. Tenho um bocado de medo, ou até mesmo muito, penso se será alopecia ou apenas um qualquer outro descontrolo hormonal, porém não posso continuar nesta situação e vou por uma travão a isto.
Sei que existem mais pessoas nesta situação e acho que não devemos ter vergonha de falar com outras pessoas sobre isto. Eu andei alguns anos a protelar e a ter vergonha, a tentar esconder, mas cresci e apercebi-me que não me fazia bem nenhum, muito pelo contrário, afinal é a falar que as coisas se resolvem e sempre nos podemos ajudar uns aos outros.




Fotos tiradas nos últimos 6 meses. As duas últimas foram tiradas ao sol, com bastante exposição de luz e estava bem mais claro do que devia, mas mesmo assim,penso que percebem o meu problema.



2 comments

  1. Boa sorte querida e vais ver que vais arranjar a solução ideal:) depois conta como correu! bjinhos

    ReplyDelete
  2. eu também tenho sentido muito receio em relação ao meu cabelo ultimamente. Nos últimos meses, tenho reparado que me cai imenso cabelo, e o que fica na cabeça está cada vez mais fino e quebradiço. Assustada com isto tudo decidi tomar Viviscal, embora o preço seja muito elevado, as críticas que ouvi dele eram sempre excelentes. Por isso, arrisquei e tomo-o há cerca de 1 mês.
    Ainda não vejo milagres, claro, mas a queda diminuiu imenso! Já quase não tenho cabelos nas costas dos casacos/camisolas ao fim do dia, e mesmo ao pentear são pouquissimos os que se soltam. Além disso, as minhas unhas nunca, mas nunca, estiveram tão fortes!

    Cada caso é um caso e a tua situação parece-me muito mais grave que a minha, por isso acho que fizeste bem consultar um especialista. Desejo-te muita sorte para resolveres o problema!

    Beijinhos

    lacarotescorderosa.blogspot.com

    ReplyDelete

© The Paper and Ink • Theme by Maira G.