SLIDER

JOANA CARDOSO


PORTO,PT
27 anos, plus-size blogger e fotógrafa

N E W S L E T T E R

Mateus Rosé Sailing Experience


A Mateus Rose Sailing Cup é uma das mais importantes regatas a nível nacional que se realiza pelo terceiro ano consecutivo sobre este nome e que leva velejadores em regatas entre Cascais e o Norte de Espanha numa competição intensa e que no passado fim-de-semana teve lugar no Douro com a etapa que passou pela cidade do Porto.

Quem nos segue no Instagram, no Snapchat ou pelo Facebook viu alguns momento daquele dia para o qual fui convidada e no qual vive uma experiência nova e marcante para a qual estava extremamente ansiosa e um pouco receosa mas que no fundo se veio a tornar uma das melhores que já fiz e sem dúvida uma das melhores experiência que ser blogger já me proporcionou.

xxxxxxx





THE BIRD

xxxxxxx

O dia começou com um brunch no The Bird, na zona da Foz, um local que não conhecia ainda pessoalmente mas sobre o qual já tinha ouvido falar e que me tinha despertado imensa curiosidade. Foi um começo de dia super agradável, com imensa comida, desde croissants folhados, a ovos mexidos aos delicios scones a acompanhar um sumo de laranja fresco e o sempre necessário café.




O brunch foi demorado, longo e bem relaxado para algumas apresentações informais e para começar bem o dia já que íamos partir logo de seguida para a Marina do Douro aonde iria começar a verdadeira experiência desta Mateus Rosé Sailing Experience e que era realmente o que mais ansiávamos.

xxxxxxx

A chegada à Marina foi feito com muito sol, a cidade do Porto em tons claros, um dia de Verão perfeito com algumas nuvens no céu apenas para pintar ainda uma mais bela paisagem. O Douro Marina, que por norma é um edifício branco que se ergue à beira-rio, bem perto da zona da foz, tinha uma boa parte com tons de rosa, ou rosé, para receber o evento do dia e a festa que se viria a realizar nessa mesma tarde.




DOURO MARINA

xxxxxxx

Foi a partir daqui que a roupa foi trocada, por pólos da Sailing Cup, que as câmaras ficaram em terra e que o Samsung foi comigo com o risco de levar um banho. Ninguém arriscou levar os equipamentos fotográficos para perto de água, fomos avisados que desgraças podiam acontecer por isso todas as fotos da grande experiência foram capturadas pelo meu telemóvel.

O caminho até ao barco foi feito entre muita excitação e muitos nervos mas mal arrancamos para o rio sabíamos que estávamos a viver algo único e com a ajuda do nosso skipper, o Gonçalo (na foto), que foi uma ajuda preciosa, nos ensinou imenso e que nos divertiu e mostrou toda a zona que conhecemos da nossa cidade mas de uma perspectiva bem diferente.

A ideia era termos saído com a regata para o mar, mas apesar de estar um dia lindo as condições do mar não estavam nada favoráveis e acabamos por ficar pela zona do rio, correndo da Foz à Ribeira e atravessando diversas pontes e locais lindíssimos.






A verdade é que não é nada fácil velejar, muito menos quando foi a nossa primeira vez. Laçar cabos, velejar contra ventos contrários, ver o barco a virar e sentir que íamos borda fora (mesmo que tal não tenha acontecido) ou mudar constantemente de posição e lado em plena viagem. Mesmo assim o bichinho fica lá e sei que não me importava nada de repetir a experiência mais algumas vezes, aprender mais, aperfeiçoar o que sei e corrigir erros de principiante que todas acabamos por fazer.

Foram cerca de duas horas entre as margens do Porto e Gaia numa perspectiva totalmente diferente da cidade em que cresci e que nunca tinha visto antes, e especialmente numa experiência que foi uma estreia, andar de barco à vela.

xxxxxxx

Voltamos a "terra" já a meio da tarde, comemos um almoço leve e acabamos por ir até ao hotel aonde decidimos trocar de roupa para a festa da Mateus e o jantar que iríamos ter nessa noite. Demos ainda uma espreitadela a tudo antes de todos os outros chegarem, foi-nos dito como a festa iria decorrer e mal podíamos esperar para voltar do hotel para o local.




A FESTA

xxxxxxx

A Mateus Rose Sailing Cup começou quase ao final da tarde mas ainda com muito sol, muita animação e imensa gente. Era dia de jogo de Portugal mas nem isso fez com que houvesse menos gente por lá. Boa música, muita animação, um DJ para animar a festa e imensos corners com comida fresca e deliciosa, do sushi ao açaí, passando pelos preguinhos e focaccias. Para acompanhar tudo uma sangria fresca de Mateus Rosé, num rosa lindo a contrastar com o azul do rio.


Recantos e comidas para todos os gostos, bebidas frescas para todas as idades, música, animação e uns olhos colados no ecrã gigante à espera do jogo e dos golos que acabaram por não vir. O sol a dar um espectáculo digno de Verão e um sunset perfeito perto da água e com gente que adoro ter por perto e algumas caras com que não me cruzava à muito.

A festa deu para dançar, comer, beber, rir e "chorar" por mais, foi o fim de tarde perfeito para o dia que já tínhamos tido e estava ainda longe de acabar.

xxxxxxx



O JANTAR

xxxxxxx

Já o sol se punha quando rumamos ao centro do Porto deixando para trás a festa que ainda decorria. O jantar foi no Clérigos, em pleno centro mesmo ao lado da nossa famosa igreja e torre dos Clérigos, um jantar já depois das dez da noite, mais tardio do que o habitual mas nem assim menos composto e demorado como um jantar entre amigos e conhecidos deve ser. Das entradas maravilhosas, ao prato que adorei, fechando com uma sobremesa bem doce e sempre acompanhado de um bom Mateus.
Pimentos, pão ainda quente, croquetes de alheira, carpaccio e muito mais. Entradas que quase por si só davam uma refeição completa, sempre com muita conversa à mistura, o jantar perfeito para nos conhecermos umas às outras um pouco melhor. O prato foi maravilhoso, um estaladiço de salmão e espargos, servido com em cama de vegetais e rosti de batata com um molho teriaki que fazia a ligação perfeita entre tudo. Claro que para acabar nada melhor do que algo doce e no nosso caso foi um fondant de chocolate ainda morno que se desfazia na boca e rematou perfeitamente a refeição.






xxxxxxx




EUROSTARS

xxxxxxx

Depois de um dia tão cheio de emoções a noite só podia acabar da melhor maneira, no novíssimo Eurostars Porto Douro, mesmo ao lado do Rio em plena Avenida Gustavo Eiffel, a 100 metros da Ponte D. Luiz. O quarto era lindo, os azuelos do quarto de banho davam fotos fantástica e mesmo cansadas acabamos por fazer uma mini sessão fotográfica por lá. Afinal não é todos os dias que acabamos a dormir num hotel quando estamos tão próximos de casa.
Risos, mais conversa ainda e uma noite que acabou bem tarde. A manhã seguinte foi de preguiça, um bom pequeno-almoço e um dia que começou bem solarengo e com uma vista linda sobre o Rio Douro, a margem de Gaia e a Ponte D. Luíz. Passar uma noite num hotel na nossa cidade é das coisas que menos fazemos porque temos a nossa casa ali bem ao perto, mas sabe sempre bem mudar de "ares" e conhecer tudo o que de novo a cidade tem para oferecer e "brincarmos" aos turistas nem que seja por uma noite apenas.



Foi um dia e um fim-de-semana sem dúvida diferente e que não me importava nada de repetir. Só posso agradecer à Mateus Rosé e a todos os seus responsáveis por nos proporcionarem esta aventura única!



5 comments

  1. Que maravilha, Jo! E bem merecido :D

    Jiji

    ReplyDelete
  2. Parece ter sido um dia tão bom! Tenho que te dizer que este post está organizado de uma forma maravilhosa. Estou mais do que encantada!

    Giveaway de um colar de 2 camadas com a Born Pretty ♥

    ReplyDelete
  3. Fotos incríveis como sempre Joana :)
    NPV

    ReplyDelete
  4. Bem, deve ter sido uma delícia!

    ReplyDelete

© The Paper and Ink • Theme by Maira G.