SLIDER

JOANA CARDOSO


PORTO,PT
26 anos, plus-size blogger e fotógrafa

N E W S L E T T E R

Feliz Dia do Pai


Ele diz que não lê o blog, apesar de eu não acreditar muito nessa pequena mentira dele, portanto se por um lado estou a contar que ele venha deitar o olho a esta publicação mais cedo ou mais tarde, por outro lado morro só de pensar no que ele vai dizer se souber que eu andei aqui a colocar fotos dele para meio mundo ver. De um modo ou do outro o dia é dele, do meu pai, do meu Zé - um dos meus Zé's, entre o meu avó e o meu irmão, todos com o mesmo nome - e o primeiro homem mais especial da minha vida, o meu primeiro grande amor masculino e inspiração.

Temos tanto em comum e tanto que nos diferencia. Não só por sermos de sexos opostos, ou por ele ser um pauzinho de virar tripas e eu ser uma panela de tripas inteira (que me deu para escrever isto?) mas prefiro pensar nas coisas que temos em comum e nas diferenças que nos aproximam, mas especialmente na primeira parte.


Ele não é lamechas, eu tento não ser, mas ele é meu pai à quase 27 anos e de vez em quando uma pessoa tem de tentar arrancar-lhe uma lágrima ou um sorriso, fico feliz com qualquer um dos resultados.

Foi com o meu pai que conheci e passei a gostar de Star Wars, se bem que ele não contava que eu passasse a levar aquele fandom tão a sério. Foi com ele que aprendi a ouvir música da boa, como Pink Floyd, Queen e tanto mais, mas também a ter um gosto ecléctico que me leva do clássico ao rock e a todas as variações musicais. O bichinho pela leitura, pelas viagens, por coleccionar canetas...tudo igual entre nós, não podia ser mais filha dela do que aquilo que sou. Até a fotografia, o meu grande amor, veio dele.


Depois há tanta coisa mais, tantas semelhanças entre nós. Mas as diferenças também nos fazem aproximar, crescer juntos, sermos críticos um com o outro e estarmos sempre lá presentes mesmo que por vezes não digamos nada um ao outro (coisa que ultimamente não acontece, uma vez que passamos a vida a picar-mo-nos mutuamente).


O dia é dele mas a minha vida também. O meu Zé, o meu pai, o meu herói sem capa. O meu Zé mais velho, o meu avó, deu-me o melhor pai do mundo e é também ele pai duas vezes, sendo também meu pai. Só espero eu, um dia, arranjar um pai para os meus filhos tão bom quanto aquele que a vida me deu.


E só para acabar "em beleza" deixo uma fotografia muito parva - ou dorky se preferirem, já que isso nos caracteriza muito bem - tirada pelo Zé mais novo em Janeiro, nos Açores.





2 comments

  1. Oiin que bonita dedicatória, tenho a certeza que o teu papá vai adorar

    Beijocas, Hellen ❤
    http://instantesimprovaveis.blogspot.pt,/

    ReplyDelete
  2. que lindo. adorei as fotografias e a dedicatória*

    ReplyDelete

© The Paper and Ink • Theme by Maira G.