SLIDER

JOANA CARDOSO


PORTO,PT
27 anos, plus-size blogger e fotógrafa

Travel Guides

Uma semana depois



Faz hoje uma semana que muitos acordaram para uma das notícias que mais abalou Portugal nos últimos anos. Das notícias que ia continuar a ser reportada e a receber actualizações hora a hora durante os seguintes dias. Não foi antes da madrugada de 17 para 18 que me apercebi do que se passava. Tinha passado o Sábado em boa companhia e a ver as 24h Le Mans antes de me ter apercebido da tragédia que tinha entretanto começado.

Uma semana mais tarde, com ainda mais vítimas, ainda mais mortes, ainda mais fogos, vejo o povo que se une - fora quem devia manter-se calado porque só assim faria boa figura - e que se apoia face a esta catástrofe. Não sei se será por sermos um país pequeno, por sermos um povo de cultura familiar, mas sinto que se no resto do tempo cada um puxa para a sua cidade, para a sua zona do país, mas quando somos confrontados com algo deste género somos apenas portugueses e apoiamos os outros portugueses não interessando de onde são, qual a sua afiliação política ou desportiva. Isto deixa-me feliz, como cidadã portuguesa, como pessoa que foi descobrindo ao longo dos anos o seu amor pelo país que a viu nascer, que a viu crescer. Se há dez anos jurava que ia emigrar, porque estava farta de Portugal, hoje em dia quero ficar se conseguir criar aqui a carreia que desejo ter.

Uma semana depois e mesmo o fogo já não sendo uma preocupação, ficam agora as vidas dos que sobreviveram a precisar de auxílio urgente. Tal como fica o nosso país a precisar de uma reforma urgente na área de ordenamento do território, florestal e de combate e prevenção de incêndios.

Não podemos também esquecer os animais, os que se conseguiram salvar, os que fugiram, os que ficaram feridos. Os de companhia e os de gado, eles também sentem e não mereciam - como ninguém merece - ver a sua vida ameaçada quando eles não podem pedir auxílio, quando são os últimos a ser lembrados, quando sequer o são.

Não sou apologista de animais acima de pessoas - apesar de gostar de alguns animais muito mais do que gosto da maioria das pessoas - mas acredito que sermos indiferentes a uma tragédia que afectou tantos seres vivos, só por esses seres serem animais, torna essas pessoas menos humanas. Mas isso sou eu que acredito que o carácter de alguém se mede facilmente pela maneira como trata os animais (não vou ser falsa e dizer que não mato algumas aranhas, mas isso são outros quinhentos).

Cabe-nos ajudar como podermos, como conseguirmos, com muito ou pouco, com bens ou com donativos. Cabe-nos a nós ajudar pessoas e animais, ajudar quem ficou com pouco e quem ficou sem nada. Portugal une-se e que se passe a unir para tudo, como já o fez tantas vezes, mas que não tenhamos de nos unir de novo por causas tão tristes, tão cruéis e tão desoladoras.

2 comments

  1. Infelizmente ainda vamos recordar-nos deste dia por muito tempo...mas sim, de facto tem razão: podemos ser um país pequeno, em que a maioria de nós não tem muito, mas uma coisa é certa: quando é preciso ajudar, há sempre algo que podemos dar e fazer. E nisso, somos enormes.

    A única coisa no meio disto tudo que me tem tirado do sério, e de que acho que ainda vou falar no blog porque também cabe a nós, consumidores, gerir, é a cobertura jornalística disto tudo. Acho indecente explorar a dor das pessoas. Uma coisa é mostrar a realidade. Outra é pegar na faca e rodá-la até jorrar sangue das feridas. E isso é indecente, e cabe a nós boicotar esse tipo de "jornalismo"...mas isto são outros quinhentos!

    Jiji

    ReplyDelete
  2. Infelizmente acho que a partir de hoje haverá um antes e um depois da tragédia de Pedrogão Grande. Principalmente para todos os que foram afectados com este incêndio. Não consigo imaginar o horror e o desespero, só me resta ser solidária e ajudar, ajudar e ajudar, como posso. Mais do que nunca, não nos podemos esquecer dos que mais precisam e daqueles que ficaram com as vidas em suspenso...

    ReplyDelete

© The Paper and Ink • Theme by Maira G.