SLIDER

JOANA CARDOSO


PORTO,PT
27 anos, plus-size blogger e fotógrafa

Madrid #3


O segundo dia em Madrid começou cedo, tal e qual como tinha previsto, queria aproveitar o dia ao máximo mesmo sendo apenas o segundo pela cidade. Já tinha quase tudo definido e uma vez mais não contava fazer tudo tão depressa, de tal modo que o segundo dia foi cheio de calma, literalmente levando tempo para explorar cada sítio ao qual fomos e ainda com uma surpresa ao final do dia, mas continuem a ler para perceber.


Começamos com o pequeno-almoço no Greek and Shop - quem leu os posts anteriores vai entender porque não tomamos o pequeno-almoço no hotel - e adoramos o atendimento, o espaço que mesmo pequenino era muito adorável e o pequeno-almoço simples, óptimo e mais que suficiente. Foi a maneira perfeita para começar o dia com as energias recarregadas para um dia em cheio como o que tínhamos pela frente.


Madrid é uma cidade sem grande reboliço, isto de manhã e durante a semana, e foi com uma Madrid ainda a despertar que apanhamos o metro até aos Jardins do Retiro - Jardines del Buen Retiro - que desde 1935 que é considerado um Jardim Artístico-Histórico. Continua a ser dos meus sítios favoritos para visitar em Madrid e não só pelo fabuloso Palácio de Cristal que me faz doer o coração por o do Porto já não existir. Numa Terça de manhã encontramos pessoas a correr, pessoas a fazer yoga, pais com carrinhos de bebé, adolescentes entre aulas (ou a baldarem-se às mesmas), pessoas com um rumo vagaroso, calmo e a apreciar uma manhã fresca q.b., tal como nós apreciamos.

Decidimos mesmo andar com calma, não ter pressa, tínhamos muito tempo e não tínhamos horas marcadas para nada e esta visita a Madrid foi assim mesmo. Com guia ou sem ele eu queria ir com calma, fazer e ver o que conseguisse mas sem andar numa de turista louca a tentar ver e captar tudo...e que bem que isso soube!


Os jardins são lindos, são um pulmão verde ali bem no centro da cidade, mas na verdade o que não falta em Madrid e nas redondezas são espaços verdes e isso é maravilhoso. Desta vez entramos pela Puerta de Hernani - ou como quem diz na saída de Metro - sendo que as portas mais conhecidas são a Felipe IV, De La Independecia e De Espanã, todas elas no lado Oeste dos Jardins.

Seguimos logo ali até à Fonte do Galápagos e logo de seguida fomos até ao tanque, com vista do embarcadero e do monumento a Alfonso XII. Claro que é daquelas zonas na qual se tira mil fotos, é dos postais mais conhecidos de Madrid e do Parque em si e já lá tinha estado. Viramos pelo Passeo de Venezuela e lá pelo meio encontramos o Palacio de Velázquez.

Este Palácio pertence ao Museu Rainha Sofia e costuma ter sempre exposições temporárias de entrada livre, se bem que desta vez decidimos apenas ver o edifício por fora e seguir até ao famoso Palacio de Cristal que fica "ali mesmo ao lado".


Desta vez, apesar de bonito, o Palácio estava bem despido não havendo nada no seu interior. Da primeira vez que lá estive lembro-me de haver uma exposição relacionada com matemática e arte, em tons de azul que davam um ar muito especial ao local. A visita foi rápida, as fotos foram muitas e perdemos um bom bocado a admirar as tartarugas e patos logo no lago em frente.


Não chegamos a ir ao Roseiral, que um senhor muito delicadamente nos indicou, nem encontramos os pavões e acabamos por seguir pelo Passeo de Coches no qual encontramos muita gente de bicicleta e patins, crianças a aprender e adultos a divertirem-se. Acabei por também não encontrar a Fuente del Ángel Caído porque seguimos rumo a Norte e acabamos apenas por descobrir o Hermanos Para Álvarez Quintero, isto antes de seguirmos pela zona Norte e sairmos pela Porta pela qual tínhamos entrado.


Acabamos por deitar o olho à famosa Puerta de Alcalá antes de seguirmos para a famosa zona de Salamanca onde corremos boa parte da Calle de Serrano, a rua com algumas das marcas mais apetecíveis e montras de fazer parar e babar...e agarrar bem a carteira! Armani, Carolina Herrera, Versace, Longchamp, Coach, Bimba y Lola, Prada, Saint Laurent...

Eu não sei como me controlei tão bem, acho que já sabia que queria ir à &Other Stories umas ruas mais à frente e tinha um budget que não queria ultrapassar na viagem, então foi andar rápido e parar apenas para umas fotos - e uma ida à Bimba y Lola - e seguir sem ficar a querer tudo!


Apanhar a &Other Stories com saldos foi o suficiente para eu ficar do género "burro a olhar para um palácio" porque não sabia onde ir, para onde me virar ou o que comprar. Acho que passei meia loja à frente porque nem quis ver roupa, queria ir logo directa à área de escritório e beleza...aí sim, com aqueles descontos a bater nos 70% uma pessoa percebe que não é de ferro e acabei a fazer umas comprinhas.


Ainda queria ter ir espreitado a COS e uma loja física da Violeta by Mango mas no entretanto encontramos um outro mercado que eu nem tinha na lista e decidimos parar, refrescar e almoçar. Eventualmente cheguei à conclusão que era melhor deixar as restantes lojas que tinha na lista de lado ou ia estourar em 2 horas o que tinha estipulado para compras, e assim foi.

O Mercado de La Paz é mesmo um mercado no sentido literal da palavra, diferente dos outros, aqui sim temos bancas de fruta, verduras, peixe, carne e tudo mais, no qual as pessoas vêm fazer compras para a semana. Claro que também tem um ou outro cantinho no qual se pode almoçar ou petiscar e acabamos por ceder e comer ali mesmo e riscar a minha sugestão para almoço da lista que tinha feito.


Arriscamos um almoço simples no Do Eat. Nada de muito requintado e acompanhado por umas tortilhas que tínhamos comprado numa outra banquinha. Desculpem a desilusão mas foi mesmo para comer e não um daqueles sítios que dá fotos lindas de morrer. Mesmo assim a minha empada de carne estava maravilhosa!

Claro que como boas portuguesas queríamos café e acabamos por encontrar um Café & Tapas, da cadeia Café & Té. Comprovamos que realmente os espanhóis, ou pelo menos os Madrilenhos, estão a aprender a tirar expressos decentes. Para além disso o espaço era bastante giro e conseguimos apanhar uma hora de bastante calma.


Quando saímos o calor já começava a apertar mas eu ainda queria dar um saltinho ao Platea, que para quem não sabe é conhecido como mercado gourmet, local no qual existem vários restaurantes, alguns deles com chefs com várias estrelas Michelin. Na verdade eu queria mesmo era ir ao Mamá Framboise, uma pequena cadeia de pastelaria do conhecido chef pasteleiro Alejandro Montes.


O espaço no Platea é enorme, giro como tudo e o difícil é mesmo conseguir escolher! Acabamos por pedir dois pequenos bolos e eu fiquei sem provar o macaron de violeta que me deixou tão imensamente intrigada. Chocolate e Framboesa e Bolo de Cenoura foram os pedidos, decidimos dividir ambos em dois e assim conseguimos provar um bocadinho dos dois, gulosas que só nós!


Nem duas da tarde eram quando demos por nós no Centro Centro, ou como quem diz a Junta de Madrid, ou melhor o Palacio de Cibeles - sim, tem todos estes nomes - no qual eu queria mesmo muito visitar o Miradouro, com as vistas fantásticas sobre Madrid. Acabamos por rapidamente descobrir que as visitas só retomavam a partir das 16h, depois de terem fechado às 13h30 e não havia mesmo maneira de lá subir antes dessa hora.


Acabamos por tentar fazer tempo num espaço fantástico dentro do Palácio - sugerido por uma senhora que veio no mesmo voo que nós - e no qual existe ar condicionado, largos sofás, revistas e jornais mas que acaba por ser apenas conhecido pelos locais e que é, por isso, bastante calmo.

Desta vez nem a Galería de Cristal estava aberta e acabamos por ficar cerca de 40 minutos e decidir ir embora porque sabíamos que não conseguíamos esperar mais 1h20 para a primeira subida ao Miradouro. Parece que as vistas ficam para uma possível próxima visita.


Acabamos por nos decidir numa sesta...voltar ao hotel e continuar a visita ao fim do dia, mal sabia eu que esse fim do dia me ia levar ao meu sítio favorito em Madrid. Se querem saber mais vão ter de vir amanhã ler um novo post.



1 comment

  1. Cá estou eu a suspirar novamente Joana, as tuas fotografias são qualquer coisa, a sério...
    THE PINK ELEPHANT SHOE

    ReplyDelete

© The Paper and Ink