SLIDER

Olá, eu sou a Joana - a cara por detrás do The Paper and Ink. Vinte e muitos anos, natural e residente da belíssima cidade do Porto, sou uma fotógrafa e blogger que em 2009 criou este espaço em busca de uma maneira de dar a conhecer ao mundo a minha voz, as minhas ideias e paixões. O TPI é um lifestyle blog, ou seja, é um pouco de tudo o que marca a minha vida, me apaixona e que acredito ser importante partilhar.


The Life Changing Magic of...



Acabamos este mês de Janeiro com uma review literária porque afinal a leitura é uma parte tão marcante da minha vida que só fazia sentido começar a falar mais sobre os livros que leio e ir dando algumas ideias de leituras que podem também querer integrar nas vossas listas.

Depois de no ano passado ter lido um livro inspirado por este - quem se lembra do The Life Changing Magic of Not Giving a F**k - decidi que em 2018 ia ser o ano para ler um dos livros sobre o qual mais tenho vindo a ouvir falar nos últimos anos, claro que houve ali um empurrão da Magazine Continente para finalmente me dedicar a esta leitura e foi assim que escolhi o terceiro livro lido em 2018.


The Life Changing Magic of Tidying Up - em português Arrume a Sua Cara, Arrume a Sua Vida - é um livro escrito pela japonesa Marie Kondo, inventora do método KonMari, um método de arrumar tudo em nosso redor, a nossa casa, para que este espaço se torna o local onde somos felizes, sem confusões ou coisas atafulhadas.

Resumo do Livro
Segundo a Wook

«Cada coisa no seu sítio!»… quantas vezes não ouvimos as nossas mães ou avós a dizer isso? A verdade é que, no tempo delas, era mais fácil fazê-lo; elas não viviam rodeadas dos gadgets e dos mil e um pequenos objetos que «atafulham» as nossas casas, nem tinham saldos quatro vezes por ano para encher os armários de roupa que nunca se chega a vestir… Temos de o admitir: hoje em dia, a maior parte de nós tem a casa cheia de «tralha». E o problema é que essa tralha que nos rodeia tem uma influência muito subtil mas profundamente negativa na nossa qualidade de vida. Habitar um espaço desordenado faz-nos ser mais desorganizados na maneira de pensar e de nos comportarmos. A fórmula é simples: espaços desarrumados e feios resultam de estados de espírito infelizes, e causam ainda mais infelicidade; espaços bonitos e arrumados resultam numa vida bonita e arrumada. Mas como o conseguir? Afinal, limpar a «tralha» das nossas vidas dá tanto trabalho que a maior parte de nós nem saberia por onde começar… É aqui que entra o método mágico de Marie Kondo, a especialista japonesa em arrumação que está a fazer furor em todo o mundo. Arrume a Sua Casa, Arrume a Sua Vida é o best-seller internacional que está a transformar a vida de milhões de leitores em todo o mundo. Revela os segredos e ferramentas simples, práticos e profundamente sábios de Marie Kondo para deitar fora o que não interessa, cuidar do que interessa e transformar os espaços que habita em ambientes de tranquilidade e ordem.

A minha opinião

Mais um livro que gostei mas não amei,  na verdade dei-lhe uma classificação de 3 em 5 estrelas - talvez um 3,5 seria mais justo se houvesse essa hipótese - porque enquanto que há coisas no livro que fazem realmente imenso sentido, acho que outras são uma propaganda um pouco enganosa, pelo menos fora do contexto social japonês, no qual ela cresceu e se estabeleceu. 

Algo que me irritou solenemente foi o início do livro, parecia-me uma exaltação desmedida a si mesma, e por mais que eu seja adepta de alguém ter um ego saudável e saber dar valor ao que faz, acho que fica muito mal começar um livro a falar sobre os seus feitos gloriosos, como é senhora de um método infalível e tanto mais. Se não tivesse sido esta primeira parte que me deixou logo um pouco reticente talvez lhe tivesse dado quatro estrelas, mas não há livros nem pessoas perfeitas.

Passando ao seu método, adoro a categorização que ela faz de modo a vermos, seleccionarmos e descartarmos o que não nos faz feliz. Apesar de parecer um pouco radical acredito que muito do que ela faz e faz os seus clientes fazerem tem de facto uma lógica associada e correcta. Devíamos estar rodeados de coisas que apenas nos fazem felizes e despertam em nós emoções maravilhosas, pelo menos segundo Marie Kondo. Eu tenho que discordar numa visão tão linear de que só devemos guardar o que em nós desperta um prazer imenso, que muito do que temos já cumpriu a sua função nem que a sua função tenha sido apenas ser comprado para percebermos que não necessitávamos de algo. 

Acho que a grande barreira entre o gostar e adorar este livro, está para mim, na fronteira social que existe entre aquilo que é o Japão e aquilo que é a nossa sociedade por cá. Apesar de haverem pontos em que as ideias fundamentais se tocam e fazem sentido em ambas as partes do globo, outras parecem-me um bocadinho distantes de mais.

Não vou colocar o método KonMari em prática, e duvido que alguém que eu conheça o faça, apesar de tudo acho que este livro é óptimo para decisões futuras, em vez de trazermos para casa coisas que não nos façam felizes, pensar cuidadosamente nas nossas escolhas futuras de modo a não criarmos um excedente de coisas que acabamos por não usar. Há ainda óptimas dicas que podem ser usadas fora do seu método, mesmo que ela acredite que não, mas cada um terá uma opinião diferente depois de ler este livro.

2 comments

  1. Andava curiosa com este livro, precisamente por ter medo do lado "endeusado" do método e da radicalidade. E, pelo que dizes, parece-me que as minhas suspeitas não são infundadas: a ideia é boa, mas o hype é exagerado. Tenho feito um esforço consciente por me focar no que realmente preciso, sem ser radical, e muito honestamente tenho conseguido ser poupada naquilo que compro e guardo. Acho que é tudo uma questão de bom senso!

    ReplyDelete
  2. Deixas-me sempre curiosa quando falas em livros. Apesar da tua classificação não ter sido a melhor, fico sempre tentada a ler para perceber do que falas Joana. E bem preciso de arrumar a minha vida, agora que vou mudar-me...

    THE PINK ELEPHANT SHOE // Ganha um gekkopod e um comando bluetooth para as tuas fotos!

    ReplyDelete

© The Paper and Ink