SLIDER

JOANA CARDOSO


PORTO,PT
27 anos, plus-size blogger e fotógrafa

Guia Holanda


QUANDO VIAJAR
Viajei no fim de Julho, durante duas semanas e se por norma a Holanda não é um país de temperaturas altas, tive a sorte (ou o azar) de apanhar temperaturas acima dos 30cº, o que mesmo durante o Verão é algo pouco típico por lá.

Assim sendo preparem uma mala com roupa "mista", mesmo que viagem no Verão, porque na segunda semana as temperaturas desceram a a chuva veio durante alguns dias sem dar descanso. Na altura do Inverno é normal nevar, ou seja é um país frio, sendo que devem ter sempre isso em conta e deverão tentar saber antes as previsões meteorológicas. 



COMO ANDAR PELA HOLANDA
A maioria das cidades Holandesas são bastante planas, até as próprias auto-estradas, sendo que se faz tudo muito bem a pé ou com o meio de transporte favorito dos Holandeses, as bicicletas. Por lá são fáceis de encontrar, e tive a sorte de ter quem me emprestasse uma vez que fiquei em casa de familiares, mas existem imensas opções de aluguer, quer em Amesterdão como em quase todas as outras cidades, e os melhores locais para se informarem será nas lojas que existem em quase todas as estações de comboio.

Os comboios são a melhor opção se quiserem, como nós andamos, a conhecer várias cidades pela Holanda, tal como Amesterdão ou Den Haag (Haia, em Português).

Existem diversos tipos de bilhete para se deslocarem, e nas estações dar-vos-ão, e muito detalhadamente, todos os pormenores que precisam, e para além de serem muito úteis são extremamente simpáticos.



LÍNGUA  E COSTUMES
Apesar de falarem holandês quase todos os holandeses falam (bastante bem) e entendem inglês, sendo que facilita imenso a comunicação. Estive por lá duas semanas e nunca tive problemas, sendo que me cheguei a perder uma vez em que estava sozinha e as pessoas são extremamente doces e sempre prontas a ajudar. Mesmo quem não fala muito inglês fará os possíveis para vos ajudar ou arranjar alguém que vos ajude.

Vivo os holandeses como pessoas extremamente educadas, simpáticas e prontas a ajudar. O habitual comprimento por lá são 3 beijos, pelo que pode ser confuso as primeiras vezes.



ONDE FICAR
Aconselho-vos a fazer uma pesquisa pelos principais sites como o Booking, HomeAway ou Airbnb. Neste departamento não vos posso ajudar uma vez que fiquei em casa de familiares o que me poupou nas despesas e em muito mais,



COMER NA HOLANDA
Existem imensas opções, mesmo nas cidades mais pequenas e não me irei alongar muito. Para além das normais cadeias internacionais, o meu local favorito por lá e que é uma cadeia Holandesa de nome La Place e aonde se come bem, e nada caro, e que tem sempre uma variedade de saladas, sopas, sandes, doces, sumos e tudo mais, sempre fresco e muitas vezes feito na hora. Os La Place variam de tamanho mas têm sempre imensas opções e estão espalhados por todo o país.

Para além disto gostava bastante de ir a supermercados e comprar pão fresco e outros produtos e fazer sandes e comer pelos imensos jardins de existem, o que é sempre uma opção bem mais em conta e igualmente saudável.

Algo que vos aconselho a comer por lá são as stroopwafel, umas bolachas típicas holandesas e deliciosas, que são basicamente dois waffers fininhos recheados com um creme tipo caramelo. São muito docinhas e nada amigas da linha, mas uma ou duas com um chá quentinho são algo que eu adoro.

Outra coisa igualmente típica é o queijo Gouda, que por lá se encontra em rodas gigantes.Ligeiramente duro e delicioso, é bom comido sozinho, ou ralado sobre massas, ou basicamente de qualquer modo.


MUSEUS E MONUMENTOS
São muitos, especialmente em Amesterdão. Foi na capital que compramos um passe anual, o Museumkaart. que na altura teve o custo de 50€ (custa 59,90€ agora) e que vos permite entrar em quase todos os museus e monumentos nacionais durante todo um ano. O cartão é entregue na hora, preenchido com o vosso nome e realmente compensa uma vez que a maioria dos museus não são propriamente baratos.

Com esse cartão visitei o Rijksmuseum, o museu Van Gogh, a casa da Anne Frank e o Amsterdam Royal Palace (mais conhecido como Koninklijk Paleis). Ficamos ainda de visitar o Hermitage mas acabamos por não ir.


O QUE VISITAR NA HOLANDA

Como andei por lá duas semanas e acabei por ir a imensos locais apenas vos vou dar alguns locais de interesse aonde poderão ir, ou a lista seria demasiado grande, e a verdade é que estou a elaborar este guia três anos depois da minha viagem.



AMESTERDÃO
A mais famosa e visitada cidade na Holanda, não fosse ela a capital e a cidade mais conhecida pela sua Zona Vermelha, ou seja, a área dedicada ao sexo e prostituição, com "lojas" aonde as prostitutas, e prostitutos, se mostram nas montras a potências clientes e também a turistas.

Tirando a Zona Vermelha, que não tem tanto de deboche como eu poderia imaginar e como muitos me diziam, Amesterdão é enorme, confusa mas fácil de andar. Famosa pelos seus canais que atravessam toda a cidade e aonde cheguei a fazer duas viagens de barco, uma por conta própria, e outra oferecida depois de visitar o museu da Heineken (a cerveja holandesa).

É uma cidade com imensa cultura, é um facto, mas a confusão de turistas foi algo que não me agradou tanto, talvez porque apanhei muita gente que se aproveita do facto da Holanda ser um país mais liberal face a uso de drogas leves e prostituição, então em pleno dia apanhamos algumas pessoas menos sóbrias, o que é sempre pouco agradável.

Apesar de Amesterdão estar bem servida de transportes, como o metro,trem e autocarro e a grande estação central de comboios, os postos de turismos no local parecem um pouco confusos como se eles próprios tivessem dúvidas. Assim sendo aconselho-vos a estudar bem a cidade antes de se aventurarem nela uma vez que é fácil alguém se perder por lá.

Existe uma área que me agradou imensa aonde se encontram a maior parte dos museus, a Museumkwartier, e é lá que irão encontrar o Rijksmuseum e o Museu Van Gogh.




RIJKSMUSEUM
Um museu de dimensões comparáveis ao Prado e quase ao Louvre e com uma colecção bastante impressionante de obras que cobre vários séculos, estilos e artes. Infelizmente na altura que o visitei, quase 60% do museu estava encerrado para remodelações e as pinturas que nessas áreas se encontravam estavam guardadas ao tinham sido transferidas temporariamente para outros museus.

O museu tem imensas obras de arte dos Países Baixos, de Rembrandt, de Johannes Vermeer e muitos outros,

Para além disto a parte que mais me fascinou foi uma ala dedicada a casas de bonecas, uma paixão minha, e aonde estavam expostos exemplares muito antigos com detalhes impressionantes que me fizeram perder mais tempo do que seria esperado.



MUSEU VAN GOGH
Como o nome indica é um museu única e exclusivamente dedicado ao famoso Van Gogh e que engloba na sua colecção permanente mais de 200 obras, entre outras rotativas e temporárias.

Infelizmente não se pode fotografar dentro do museu mas realmente vale a pena porque se nota pela sua pintura o desenvolvimento de um pintor que começou a pintar já bastante tarde na sua vida, morreu na miséria e hoje é um dos nomes mais famosos da pintura de todos os tempos.

Existem trabalhos que não são tão conhecidos do público e que achei imensamente deslumbrantes. 

CASA DE ANNE FRANK
Um dos locais mais famosos e mais concorridos de Amesterdão. Mesmo chegando de manhã bem cedo esperamos mais de 40 minutos numa fila que dava a volta ao quarteirão.

Esta foi a casa aonde Anne se escondeu, juntamente com a família e mais quatro pessoas durante a ocupação Nazi.

Todos sabemos como acaba a história, e só vos posso dizer que percorrer toda aquela casa, passando por escadas íngremes, estreitas e quartos pequenos e abafados aonde viviam duas famílias, é qualquer coisa que nos transmite uma energia muito forte. É quase como se conseguíssemos sentir o medo e o sofrimento. Realmente indescritível e recomendo que visitem também, mesmo que a fila seja enorme e assustadora.



ROYAL PALACE/KONINKLIJK PALEIS
O Palácio Real que passou por muita história desde que começou a ser construído em 1648 e passou a ser Palácio Real em 1808.

Chegou a ser habitado por Napoleão Bonaparte e em 1935 foi vendido por Amsterdão ao Estado Holandês que o ofereceu para uso permanente da família real.

A história é longa e complicada mas o palácio vale a pena. Desde os seus salões até às diversas obras expostas, é um local enorme e fantástico para ser visitado. O Palácio apenas pode ser visitado quando não está a ser usado pelo Família Real, e duas vezes por ano alberga exposições temporárias.


HILVERSUM

Uma cidade a cerca de 30km de Amesterdão e aonde eu fiquei durante as duas semanas que andei a visitar a Holanda. Uma pequena cidade pacata e muito bonita mas que é conhecida por ser a cidade dos media e aonde se encontram a grande parte das televisões holandesas e meios de comunicação.

Fiquei numa daquelas típicas casas holandesas, de escadas estreitas, pátios com um pequeno lago e janelas enormes. Os holandeses não têm por norma usar cortinas, por isso é engraçado porque todos sabem que quem usa cortinas nas janelas é automaticamente um imigrante.

A cidade faz-se quase de uma ponta à outra de bicicleta muito facilmente e eu fiquei bem perto do centro e cheguei a apanhar um dia de mercado/feira que é muito parecido aos nossos portugueses mas bem mais organizado e limpo, de certo modo.



KASTEEL GROENEVELD
Um castelo lindíssimo que fica entre Hilversum e Barn e apenas 6km de distância, que facilmente se fazem de bicicleta. Foi um dos locais que mais adorei e que mais me fascinou. É circundando por uma floresta e jardim imenso, um foço e vários lagos. O palácio em si, apesar de não estar mobilalo é realmente bonito e acho que na altura não pagamos nada para o visitar. Há imensa gente que vai até ao parque em torno do castelo para fazer picnics, passear os cães ou andar de bicicleta num percurso diferente.

Este castelo era originalmente uma casa de campo e férias de uma família aristocrata que agora se tornou num conhecido local turístico e de passeio por quem passa nesta zona.




DEN HAAG/HAIA
Apesar de Amsterdão ser a capital oficial, Haia é a verdadeira sede do Estado Holandês e aonde se encontra as camâras do governo e todas as embaixadas, coisa que costuma acontecer nas capitais.

Ao contrário de Amesterdão, Haia é uma cidade muito mais calma, limpa e...bem, diria, educada. Tenho o seu charme e fiquei realmente encantada com este local, talvez por ser mais calmo, como já foi dito, por as pessoas serem extremamente simpáticas e pela beleza de todos os edifícios e locais por onde passava.


SCHEVENINGEN
Uma famosa praia e bairro, essencialmente turístico em Haia. Com um nome complicado, Scheveningen tem uma "lenda" engraçada que me contaram. Supostamente durante uma das invasões (não sei precisar qual), pedia-se a quem tentasse passar para dizer o nome de Scheveningen, e diz-se que se não o soubessem pronunciar então não seriam holandeses e não lhes seria permitida a passagem. Como vos disse é apenas uma lenda, ou mito local mas que achei engraçado.

Scheveningen tem um hotel famoso em todo o mundo, o qual falaramos já a seguir. um passeio fantástico e  um ancoradouro daqueles extensos que culmina com uma subida com uma vista fantástica e um café sobre o mar.

Posso dizer que mesmo tendo sido um dia de chuva foi uma das visitas mais agradáveis que fiz e que culminou com um almoço na praia a comer peixe e batatas fritas, um prato muito típico holandês, apesar de pensarmos logo no fish and chips britânico.


GRAND HOTEL AMRÂTH KURHAUS THE HAGUE
O Grand Hotel Amrâth Kurhaus é conhecido pela sua imensitude, vista para o mar e por ser provavelmente um dos hotéis mais fotografados do mundo.

É realmente imponente quando tudo à sua volta parece tão pequeno. O hotel teve início em 1818, como uma estância balnear e manteve-se desde então como um local de luxo e requinte para quem os visita.

Infelizmente não visitei o interior mas sei por pesquisas que tem uma arquitectura e decoração lindíssimas.




BINNENHOF
Um complexo de edifícios governamentais, junto ao lago Hofvjiver e que é por si só fascinante. É o local de trabalho do Primeiro Ministro Holandês e foi um sítio pelo qual me senti bastante atraída, como por toda a cidade de Haia em geral.




NOORDEINDE PALACE
Um dos quatro palácios oficiais da Família Real. É aonde o Rei Willem-Alexander trabalha para cumprir os seus deveres como chefe de estado, e residência temporária de alguns membros da família.

Começou por ser uma casa de campo mas acabou por evoluir para palácio e residência oficial.

OUTROS LOCAIS




WALIBI PARK
Pouco a ver com tudo o resto mas foi aonde passamos um dos nossos dias na Holanda, mesmo que com imensa chuva. Um parque de diversões da cadeira Walibi que opera em vários países, e que tem em si diversas diversões como a montanha russa mais altas e rápidas da Europa, na qual eu felizmente não andei porque tinha acabado de comer e ainda tenho juízo na cabeça.

Um dia no parque fica a cerca de 30€ por pessoa e a verdade é que mesmo não sendo um parque gigante não vão conseguir percorrer todas as diversões num dia só,mas se gostam deste tipo de parques então aproveitem.

No comments

Post a Comment

© The Paper and Ink