SLIDER

JOANA CARDOSO


PORTO,PT
27 anos, plus-size blogger e fotógrafa

N E W S L E T T E R

Guia Paris

QUANDO VIAJAR
Apesar de já ter viajado no Verão preferi visitar Paris no Outono, agora em Outubro, e talvez seja dos meses que mais aconselho. 
De facto as temperaturas em Paris são mais frias que em Portugal nesta altura do ano,sendo que recomendo levarem um bom casaco de Inverno e pelo menos um cachecol, porque se sairem de manhã o mais certo é terem de estar bem agasalhados.

Em termos de custos de viagens e estadias os meses mais baratos são Outubro, alguns meses de Primavera e Agosto, sim, Agosto. Isto devesse ao fluxo de imigrantes que sai de Paris para fazer férias em "casa" no seu país de origem, como é o caso dos portugueses. 

Se querem poupar apostem nestas datas e fujam das datas das semanas de moda, e dos meses de fim de Novembro e Dezembro uma vez que existe uma afluência enorme de turistas para visitar a cidade durante a época de Natal.





COMO ANDAR EM PARIS 
RATP - Rede de metro, comboio e autocarros
Recomendo a utilização da aplicação Paris by Metro da RATP, mais simples que a app RATP. Se não quiserem instalar nenhuma das aplicações o site da RATP é também um óptimo meio de pesquisa para o vosso trajecto. Apenas têm de saber o nome da estação em que devem entrar e na qual têm de sair para vos ser dado todo o trajecto, para tal aconselho, tal como nós fizemos, o uso do Google Maps que vos dará todas as informações necessárias.

O metro chega a praticamente toda a cidade e talvez seja o melhor meio de transporte público em Paris.

Para além do metro, andar a pé é sem dúvida a melhor solução uma vez que a parte mais central de Paris não tem subidas e descidas que dificultem o andar. Todas as ruas têm as placas com nomes em locais facilmente identificáveis e em vários locais (no caso das avenidas).

Podem comprar bilhetes individuais ou caiers (cadernetas) de 10 viagens por 14,10€. Cada bilhete tem a duração de 1h30 mas apenas pode ser validado uma vez.

Depois existem ainda as opções de vários dias ou o Navigo semanal,mas neste caso deverão ter em atenção as zonas cobertas pelos mesmos uma vez que a cidade se divide em várias zonas.

Têm ainda a opção do Navigo Découverte que tem um custo de 27€ semanais,mas que apenas funciona de segunda a domingo, sendo que se viajarem durante o final da semana o mais certo é esta opção não vos ser a mais benéfica. O Navigo Découverte permite a circulação entre as zonas 1 a 5, de metro e comboio, e ainda o uso do Orlybus (o autocarro de ligação ao aeroporto de Orly)

As estações de metro principais 
CHAMP DE MARS - TOUR EIFFEL : Torre Eiffel
OPÉRA : Opéra Garnier
CHARLES DE GAULLE - ÈTOILE : Arco do Triunfo / Avenida dos Campos Elísios 
ANVERS : Sacre Couer / Montmartre
SOLFÉRINO : Museu d'Orsay
PALAIS ROYAL - MUSÉE DO LOUVRE OU PYRAMIDES OU LOUVRE RIVOLI : Museu do Louvre 
CITÉ : Notre Dame

O serviço da Uber é ainda bastante cómodo para deslocações nocturnas, e para além de rápido por vezes compensa em termos de custos para viagens de 4 pessoas (que foi o nosso caso)



AONDE FICAR
Se na primeira vez ficamos num pequena pensão muito gira e aconsedora (era eu ainda criança), desta vez escolhemos alugar um apartamento pelo Airbnb depois de muita pesquisa feita.

Acabamos por ficar na Rue des Petits Carreaux, mesmo no início da rua pedonal de Montergueil, uma rua situada no 2°arrondissement aonde tinhamos tudo, mas literalmente tudo à porta, desde supermercados,a boulangeries e a entrada do metro de Sentier (linha 3) a menos de 50m da porta, com ligação directa à Opéra e a Père Lachaise. A pé estavamos a menos de 1,2km do Louvre  e que era super fácil de fazer a pé sem nos cansarmos.

A comodidade de um apartamento é realmente o podermos cozinhar e ter mais espaço que num quarto de hotel. Adorei a zona que escolhemos apesar de termos também procurado pela zona do Marais,da Opéra e zonas circundantes.



COMER EM PARIS
Como vos disse ficamos num apartamento, logo tínhamos acesso a uma cozinha totalmente equipada e por lá fizemos os pequenos-almoços e jantares. 
Como estamos na Rue Montergueil tínhamos acesso a tudo o que era lojas das mais diversas especialidades e num raio de menos de 100m tínhamos 5 supermercados diferentes, 1 deles dedicado apenas à alimentação natural e biológica.

Quase em frente "à porta" tínhamos 2 U Express. Mais ao lado o Auchan 2 Pas (da cadeia do Jumbo) e ainda o Franprix, o que mais gostei e o qual tinha uma secção de produtos portugueses. O Naturalia era um supermercado com produtos unicamente biológicos e naturais e apesar de perto não o chegamos a visitar.

Reparei que todos os supermercados têm uma secção de produtos biológicos e que os franceses ou parisienses parecem apostar imenso neste estilo de alimentação que tem preços muito próximos aos alimentos ditos normais, coisa que não acontece em Portugal.

O preço médio das coisas é pouco mais caro que em Portugal mas o normal para o custo de vida em Paris, a variedade também é imensa e há muitos produtos em que mal notamos a diferença de preço para o que temos por cá.

O preço da carne é em média alto, comparado ao que por cá pagamos, e cheguei a ver peito de frango a 20€/kg, basicamente o preço do bife do lombo, que por lá era pouco mais caro. Mesmo assim a carne é mais barata quando comprada embalada nos supermercados.

Esqueçam os Paul (espalhados por toda a cidade) ou o Eric Kayser, e apostem nas patisseries, e brasseries artasanais e pequenas. Baguetes enormes e deliciosas a menos de 1€, croissants frescos logo de manhã que fazem chorar por mais e aqueles bolos de perder a cabeça de tão boa apresentação que têm.

Beber café em França, para quem está habituado ao bom café à portuguesa, é quase um mito e valeu-nos o Starbucks e encontrar uma roulote aonde vendiam Ristretto da Nespresso, mesmo que a 2€ a chávena de café.

Para almoços e afins, se não forem ao McDonald's (porque é o mais rápido e em conta), esqueçam as ruas mais movimentadas e restaurantes à beira rio porque irão pagar preços imensamente inflacionados. Apostem naqueles bistros escondidinhos e façam uma busca pela internet para encontrarem sítios bem em conta.

Depois é tudo uma variedade de lojas, desde os queijos, às centenas de doces diferentes, passando pelos vinhos e chocolates.



MUSEUS E MONUMENTOS 
Os bilhetes para a maioria dos museus e monumentos podem ser comprados no local ou através da internet, sendo que existem duas boas opções que cobrem imensos locais e que têm opções de 1,2 ou mais dias, consoante o que pretendem visitar.
Estas duas opções são o Paris Pass  (http://www.parispass.com/) ou o Paris Museeum Pass (http://en.parismuseumpass.com/).

Para os menores de 25 anos (inclusive), e residentes da União Europeia a maioria dos museus são gratuitos (Louvre,Orsay,Versailles) e muitos outros locais oferecem reduções de preços  (Opéra,Torre Eiffel), sendo que na maioria dos locais gratuitos não têm de esperar para comprar bilhete uma vez que terão apenas de apresentar o vosso CC à entrada.

A maioria das filas de entrada não ultrapassam por norma os 40 minutos de espera, excepto a Torre Eiffel aonde a espera costuma ser superior a 2 horas apenas para a compra dos bilhetes.

Nos primeiros Domingos de cada mês, de Outubro a Maio (se não estou em erro), a maioria dos museus tem entrada gratuita para todos.




O QUE VISITAR EM PARIS





LOUVRE E ORSAY
Para visitar o Louvre esqueçam a entrada bonitinha pelas pirâmides, aonde terão de esperar demasiado tempo para comprar bilhetes e entrar. 

Nós descobrimos que entrar mais à frente, pelo centro comercial mesmo em baixo do Museu, o Carrousel du Louvre, era a opção certa. A fila assustava mas em menos de 10 minutos a fila terminou e passamos à zona central de compra de bilhetes. 
Aqui têm postos de venda ou máquinas automáticas e mesmo já sendo 11 da manhã havia imensas máquinas vazias e foi numa dessas aonde os meus pais compraram os seus bilhetes. Basicamente em menos de 15 minutos depois de entrar  (sem contar com o tempo de espera para o acesso aos toilettes) já estavamos no museu a passear. 
Para menores de 25 anos (25 anos inclusive) não existe necessidade de compra de bilhetes e apenas têm de mostrar o vosso CC à entrada do museu aos seguranças. 
O preço do bilhete normal é de 15€, e este mesmo bilhete dá-vos acesso ao Museu Delacroix no mesmo dia da compra.

Aconselho a pegarem num guia, disponível no balcão junto às bilheteiras, encontram-no em várias línguas, português inclusive. Com o guia podem definir quais as áreas que querem visitar, e desengane-se quem acredita que mesmo um dia inteiro chega para visitar o Louvre.

No museu d'Orsay o caso existe apenas uma fila, e exterior. Estivemos mais de meia hora à espera na mesma, ao frio matinal de Paris que nos congelava. Depois de passar a interminável fila os bilhetes são rápidos de comprar e uma vez mais os menores de 25 anos apenas apresentam o CC à entrada.

O preço do bilhete simples é de 11€ e dá acesso a todo o museu e exposições temporárias.

O Orsay é mais pequeno e rápido de visitar mas se tiverem o tempo contado, como nós tínhamos, agarrem num guia (também à entrada) e definam quais as salas que pretendem visitar, sendo que a maioria são salas pequenas que se vêm em poucos minutos.

Pode-se fotografar dentro de ambos os museus, sem flash, a não ser que haja uma proibição específica como no caso da exposição temporária que estava presente no Orsay.





TORRE EIFFEL /TROCADERO
Visita obrigatória, pelo menos para algumas fotos. Uma vez mais não subimos mas como sempre as filas, mesmo cedo de manhã são já enormes.
Têm a opção de subir de elevador ou escadas  (eu não teria coragem,não pelo esforço mas pelas vertigens). Os preços não são propriamente baratos para as subidas mas talvez um dia suba.

Ver a torre debaixo e depois dos jardins do Trocadero são as vistas mais comuns e também as mais bonitas.

Infelizmente visitamos a torre no dia em que decorria a corrida dos 20km de Paris e a confusão era mais que muita porque a meta era mesmo em frente à torre.

Podem,e devem ainda visitar a torre à noite e vê-la toda iluminada. De hora a hora as famosas luzes da torre começam a piscar e é um espectáculo lindo de se ver e que dura alguns minutos.



SACRÉ-COUER
Acho sinceramente que escolhemos os dias em que havia eventos em todos os locais que queríamos visitar, e tivemos de passar por uma festa enorme com centenas de pessoas pelas escadarias e ruas circundantes do Sacré-Couer em Montmartre para conseguirmos chegar ao cimo, ver a vista de Paris e entrar na basílica.

Desde a saída do metro o caminho é sempre a subir e acabamos por apanhar o Funicuilaire (Gare Bass ou Gare Haute) do lado esquerdo da subida para chegarmos ao topo. Neste  caso podem utilizar o bilhete do metro (tal como o Funicular dos Guindais no Porto, para quem conhece).

A vista do topo vale realmente a pena, ver a imensidão de Paris sobre uma luz linda de fim de tarde em tons de cinza e azul, algo realmente de cortar a respiração.

A entrada na basílica gratuita mas pede-se silêncio e moderação. Neste caso não se pode tirar fotos. Continua, apesar de ser um local turístico, a ser um local de fé e oração aonde se dão missas mesmo com a presença de turistas.





NOTREDAME
Como já tínhamos visitado a igreja na nossa primeira visita decidimos não passar por lá desta vez, tínhamos o tempo contado e preferimos passear por outros locais.

A entrada na igreja é gratuita, e vale a pena pela impressionante arquitectura e alguns dos vitrais mais famosos do mundo.

Podem ainda subir ao campanário (lembram-se do Corcunda de Notre Dame?), e a entrada é por um dos lados exteriores da igreja, e se não estou em erro tem o preço de 5€ por subida.




OPÉRA
Ainda não foi desta vez que realizei o meu sonho mas mesmo assim consegui espreitar a entrada pelo lado da loja do museu, o que já me deixou um bocadinho mais feliz.

A Opéra Garnier ou Opéra de Paris continua a ser uma das mais emblemáticas do mundo e aonde se continuam a realizar grandes espectáculos. Porém não precisam de assistir a nenhum espectáculo para poderem ver o edifício. Existem visitas em certos dias da semana, sendo que se deverão informar previamente de horários e disponibilidades, coisa que eu por erro não fiz e me valeu a desilusão de não poder visitar aquele local.

O preço do bilhete é de 11€, e existe ainda a tarifa reduzida de 7€ que inclui os menores de 25 anos.

A Opéra tem ainda uma loja e um restaurante do lado direito do edifício que não cobram qualquer custo de entrada, e que foi realmente o que me valeu para poder espreitar um bocadinho do edifício.



MOULIN ROUGE 
Decidimos visitar o Moulin Rouge à noite,mesmo que apenas para ver o seu exterior já que são as luzes que dão vida aquele local que começou essencialmente como um local de diversão nocturna.

Existem vários espectáculos a decorrer no Moulin Rouge e são a única forma de visitar o edifício porém os preços são bastantes caros e as filas intermináveis e ver o local por fora já vale por si só.

Foi uma das noites em que usamos o serviço da Uber uma vez que estávamos alojados numa zona mais central e o Moulin Rouge fica na zona de Montmartre.

Toda a zona circundante é a "casa" de dezenas de sex shops, casas de diversão nocturna e tudo mais que possam imaginar.





GALLERIES LAFAYETTE 
Um local de visita obrigatória. Pena mesmo é a proibição de fotografias no interior uma vez que tem uma cúpula em vitral lindíssima.

É uma loja de departamentos que vai desde os artigos ditos normais até às gamas de luxo como Mulberry, Valentino, Burberry e muitas mais.

Aconselho a subirem ao terraço aonde terão uma vista linda sobre a cidade, avistando a Torre Eiffel ao longe e toda a zona das traseiras e topo da Opera, uma vez que as galerias ficam mesmo atrás da mesma.

Costumam haver promoções fantásticas e as galerias são imensamente concorridas e cheias de gente durante todos os dias da semana.






ARCO DO TRIUNFO/CHAMPS ELYSÉES
Com a paragem de metro a sair mesmo entre o Arco e a Avenida, este é um dos principais marcos de Paris e dos locais com maior afluência turística.

Existe a possibilidade de subir ao Arco mas não sei precisar preços uma vez que não foi de nosso interesse subir.

Depois de uma fotografia rápida e habitual aconselho a descer a Avenida dos Campos Elísios ou Champs Elysées, uma das avenidas mais famosas de Paris por ser a casa de muitas marcas de luxo, e aonde encontramos marcas como a Louis Vuitton, a Ladurée, a Sephora  (a primeira e maior em que entrei em toda a minha vida), a Tiffany and Co. e muitas outras. Ao fundo da Avenida encontramos a Place de la  Concorde, com o Petit Palais à direita, o jardim das Tuilleries ao fundo e o acesso à Rue Saint Honoré à direita.






PLACE DE LA CONCORDE/SAINT HONORÉ
A Place de la Concorde é o ponto central entre as Tuilleries e os Champs Elysées. Está de momento em obras o que faz perder grande da sua beleza e interesse na visita mas mesmo assim continua a ser um importante ponto de acesso, especialmente à Rue Saint Honoré, uma rua bem menos movimentada do que os Campos Elísios mas que consegue ser o epicentro das marcas de luxo, tanto de costura como da área de beleza e alimentar. Aqui existe uma outra Ladurée, separada entre loja e casa de chá. Podem ainda encontrar uma pequena ruela que é uma galeria de lojas com marcas como a Dior.

À entrada da rua tem o famoso cabaret Maxim's, um dos mais famosos locais de diversão parisiense e que conta também com uma marca enorme de artigos, um café/restaurante e muito mais.




TUILLERIES
O fantástico jardim que parte desde as pirâmides do Louvre e segue até à Place de la Concorde  (que precede os Champs Elysées). Aqui poderão não só descansar, nas famosas cadeiras verdes junto ao lago, como ainda encontram o Arco do Carrousel que se alinha com o Arco da Defesa e o Arco do Triunfo.

Junto ao lago tinha uma pequena roulote da Amorino que serve gelados deliciosos mesmo durante os dias frios de Outono.





AS PONTES
São muitas e quem anda por Paris acaba por atravessá-las diversas vezes. Desde a Pont Neuf à Pont des Arts (ok,estas estão lado a lado), Paris é uma cidade com imensas ligações entre as duas margens.

Na nossa primeira visita, ainda em 1998 optamos por fazer uma viagem de barco que percorria uma grande parte das pontes e dos locais de interesse nas margens do rio, com audio-guia. De momento existem em vários locais ao longo do rio diferentes tours pelas águas do Sena com preços diversos, pelo que deverão informar-se sobre todas as opções e vantagens se pretendem fazer um destes passeios.


VERSAILLES
Ainda não foi desta que incluímos a visita a Versailles porque sabíamos que teríamos de perder todo um dia para  visitar o palácios,os Trianon e os jardins e assim optamos por deixar de fora.

A deslocação até Versailles demora cerca de 45 minutos, de comboio (linha C), e mais cerca de 10 minutos a pé desde a estação final à zona da bilheteira.

Os bilhetes para visitar o palácio principal, os Trianon e os jardins tem o custo de 18€,mas uma vez mais é gratuito para cidadãos europeus abaixo dos 25 anos (inclusive) e apenas têm de mostrar o vosso Cartão de Cidadão à entrada.





No comments

Post a Comment

© The Paper and Ink • Theme by Maira G.