Se o arrependimento matasse...




...eu virava Zombie!

Este é uma daquelas publicações que até vai doer, não só pela minha cara sem maquilhagem (e um belo arranhão feito pelo mais pequeno) mas também porque por vezes fazemos coisas realmente estupidez. Não morro de arrependimento porque aprendo com os meus erros, portanto não volto a cair na mesma asneira.

E tudo começou com a vontade de ter um cabelo com efeito ombré, o que muitos chamam de madeixas californianas, e claro que a L'Oreal tinha de lançar um produto que parecia porreiro e fácil de usar.

Parecia, porque o resultado não foi lindo, nem foi bom. Das duas uma, ou eu sou burra, ou então aquilo traz umas instruções muito manhosas e nem 25 minutos deveria estar no cabelo (tempo mínimo segundo eles).

Se o tornasse a fazer de certeza que o faria com ajuda, ou muito sinceramente não me aventurava a fazê-lo em casa. nem sozinha nem com companhia.

Acho que no fundo acabei por aplicar mais produto de um lado que do outro, mas quando o fazemos é quase impossível medir realmente se estamos a usar em demasia ou não.






...mas todo o mal tem remédio!

No fim, o resultado foi este, e aqui está uma foto bem pior que comprova a gravidade da situação, que de um lado ficou decente e do outro lado ficou a parecer que tinha mergulhado em lixívia até às orelhas. 

Apesar de tudo acabei por remediar a situação depois de procurar vários testemunhos online de pessoas a quem a experiência ombré (mesmo feita por profissionais) correu mal, e no próprio dia foi a correr comprar uma tinta da cor aproximada do meu cabelo e pintei por cima para escurecer o erro (sei que não se deve pintar logo de seguida, mas era impossível manter o cabelo naquele estado e não vi até agora danos alguns por ter feito isto).










Na 3º foto ainda se nota o lado em que correu menos bem, mas à luz natural não parece tão mal e disfarça bem com o movimento constante do meu cabelo.

Conclusão, não torno a cair na mesma asneira, mas foi da maneira que o meu cabelo deixou de ser virgem e que me aventurei numa nova experiência.








Joana, 28 anos e natural da cidade do Porto. 
Sou uma fotógrafa de profissão, louca por viagens e sempre com demasiadas opiniões para dar. 
Este é o meu blog no qual escrevo desde 2009 e ele já mudou tanto quanto eu mudei ao longo destes últimos, quase, 10 anos.

INSTAGRAM