Porto que vai na alma


Sair, viver a cidade, respirar fundo e mostrar a quem vem de fora a maravilha que a minha cidade, o meu primeiro amor, é. Foi no passado Sábado e foi sempre a mil.

Foi sair de casa depois de almoço, directa às Galerias Lumiére, estar uma boa hora sozinha (mas com um gouffre da SouSweet), coisa que também é necessário antes de me encontrar com a Carina (quem se lembra dela do Kiss Me Quick) para um café. Foi ela apresentar-me o Café Vitória, giro e calmo para estar algumas horas à conversa.


Foi sair depois disso, de novo sozinha e correr meia cidade, atravessar a ponte D. Luís ao por do sol, parar, respirar fundo, ver a cidade que me viu nascer e seguir até ao Jardim do Morro. Foi ai que encontrei a Ana e a Joana, e o Mário namorado da Ana, que vieram do sul, finalmente ao Porto conhecer esta cidade tão linda.


Foi voltar ao lado do Porto, descer a Rua da Flores, ver a Nut cheia e rumar à Spirito, parar para um café e encontrar a Catarina, de quem já estávamos à espera. Depois disso foi subir a Santa Catarina, fazer horas e ir até ao Lado B, levar a Ana às francesinhas que ela nunca tinha comido.


Depois da francesinha descemos ao Aliados, subimos ao Carmo e acabamos com um café no Café D'Ouro, ou como quem diz, no Piolho.






Joana, 28 anos e natural da cidade do Porto. 
Sou uma fotógrafa de profissão, louca por viagens e sempre com demasiadas opiniões para dar. 
Este é o meu blog no qual escrevo desde 2009 e ele já mudou tanto quanto eu mudei ao longo destes últimos, quase, 10 anos.

INSTAGRAM