SLIDER

Olá, eu sou a Joana - a cara por detrás do The Paper and Ink. Vinte e muitos anos, natural e residente da belíssima cidade do Porto, sou uma fotógrafa e blogger que em 2009 criou este espaço em busca de uma maneira de dar a conhecer ao mundo a minha voz, as minhas ideias e paixões. O TPI é um lifestyle blog, ou seja, é um pouco de tudo o que marca a minha vida, me apaixona e que acredito ser importante partilhar.


Itália #7


O segundo dia por Milão foi, sem dúvida, o mais intenso, com mais quilómetros feitos, tanto a pé como nas linhas de metro. Aproveitamos os passes de 24h para visitarmos vários pontos da cidade que não são facilmente percorridos para quem apenas apenas a pé e assim vos trago tudo o que por lá fizemos.


O dia começou na zona do Teatro alla Scala. Aqui encontramos uma qualquer sessão de fotos a decorrer, sem conseguirmos perceber quem seria ou qual a marca em questão, mas uma boa parte da praça estava fechada e para mim, fotografa e amante de moda, é sempre engraçado ver este tipo de coisas a acontecer, mesmo que por lá seja algo habitual.

Percorremos de novo a Galeria Vittorio Emanuel e paramos na giríssima Pasticceria Marchesi , no primeiro andar da Galeria, logo acima da Prada. Com mármores verdes e uma apresentação de produtos que deixava qualquer um de água na boca. Das janelas da pastelaria temos uma vista bonita sobre o centro da Galeria, de um lugar prestigiado de de vista descongestionada. E os bolos esses são frescos e maravilhoso.


Depois de deitarmos mais um olho e mais uns cliques sobre o Duomo decidimos dar uma volta pela zona comercial adjacente. Ou seja, visitamos quase todos os pisos do Rinascente Milano, uma loja de departamentos com grandes marcas de luxo em que uma pessoa começa logo com ideias de ir à falência.

Como a hora de almoço estava mesmo ao virar da esquina seguimos até ao sítio em que sabíamos que não queríamos perder na visita a Milão, o famoso Luini, na Via Santa Radegonda, a poucos metros do Duomo e que serve os famosos panzerotti. O panzerotti é uma massa frita, recheada com mil variações, das doces às salgadas, podem quase compará-lo ao nosso rissól, mas em tamanho grande, massa diferente e altamente delicioso. A fila é grande, sempre, fluí rapidamente mas vale a pena mesmo que demorem uns quinze minutos. Não há mesas no interior, então o pedido é feito ao balcão e depois é seguir o modo de toda a gente e encostar a algum local ali mesmo na rua e comer o vosso panzerotti. O preço médio de cada um ronda dos 3€, há imensa variações e um só dá uma refeição perfeita. Eu escolhi o Luini com tomate, pesto e mozzarella. Pena mesmo é não poder comer agora mesmo um, que só de escrever isto já fiquei com imenso apetite.


Depois disto ainda houve espaço para um gelado e como tínhamos mesmo ali perto um Cioccolatitalini, uma cadeia de gelatarias sobre a qual tinha lido e decidimos experimentar. Os gelados são de facto bastante bons, super cremosos, sem cristais de gelo e com sabores naturais mas deliciosos, como o famoso nocciola que tanto adoro.

Demos então mais uma volta de decidimos voltar a apanhar o metro. Demoramos a decidir o destino mas escolhemos dar um saltinho a San Siro - ou estádio Giuseppe Meazza - , o famoso estádio onde jogam duas grandes equipas, o AC Milan e o Inter de Milão. Para mim isto ainda me faz imensa confusão, uma vez que sendo adepta de futebol não imagino mais nenhum clube que não fosse o meu FC Porto a jogar no Dragão e a fazer daquela morada sua casa,  mesmo assim é engraçado ver a loja dos clubes lado a lado, num só espaço...e a imensidade de camisolas do André Silva que por lá param.


Para além disso o estádio é gigante, tem uma arquitectura super diferente e da loja oficial têm uma vista para o interior do estádio caso não façam a visita. Acho que se tivéssemos tempo tínhamos acabado por ir ver um jogo mas não se proporcionou. 

A meio da tarde decidimos rumar a outra direcção e fomos até mais um dos pontos que tínhamos na lista: a zona da Naviglio Grande. A zona de Naviglio é uma zona de canal que começa na Porta Ticinese e se estende por imensos quilómetros, sendo que a zona de Naviglio Grande é a primeira e por onde nós andamos.

Queríamos especialmente visitar esta zona porque ficamos a saber da "tradição" do aperitivo, ou seja uma Happy Hour que começa por volta das 18h em que comprando uma bebida oferecem a comida, ao estilo buffet, com imensa variedade de petiscos, de massas a queijos, passando por carnes frias e saladas. Para nós é um pouco cedo para jantar e por Milão isto não é, por norma, o jantar em si, mas queríamos experimentar este conceito e acabamos por passear um pouco, ver as vistas e finalmente escolher entre as dezenas de bares que têm esta Happy Hour.



A zona de Naviglio começa a ter imenso movimento a partir desta hora, as ruas enchem-se de pessoas, empregados a apregoar a hora do aperitivo e uma azáfama que contrasta com a calma do local umas horas antes. Acabamos por optar por um bar chamado Vintage, o espaço em si não era nada de especial mas a comida era boa e os cocktails também, portanto acho que foi no todo uma experiência super interessante e que repetiria sem qualquer dúvida.

Mesmo assim posso dizer que antes disso já tinha trincado uma bela arancina, um salgado típico da Sicília, basicamente uma bola panada de arroz recheada com diferentes opções, no meu caso optei por uma com vegetais e carne, que acabei a dividir com a família que primeiro não queria mas depois já lá estava em cima da minha arancina (arancini no plural) prontos a provar. 


A noite acabou com um passeio com o sol a pôr-se nesta zona de Milão e com o regresso ao nosso apartamento para o descanso merecido antes do dia seguinte.



Não se esqueçam que podem espreitar este álbum com todas as fotos dos dias por Milão.

1 comment

  1. Pode muito bem ser uma das minhas próximas escapadinhas.:p

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ReplyDelete

Cookies, Política de Privacidade e Segurança

© The Paper and Ink