Anti-bucket List 2017



O ano passado isto correu tão bem que eu achei que 2017 precisava de um post igual, ou semelhante pelo menos, afinal uma anti-buckets list não só me ajuda a ver tudo o que fiz mas como enaltece tudo o que fiz de bom, porque mesmo que sejam pequenos feitos vermos o que fizemos bem dá-nos ânimo e alento para um novo ano e um novo ciclo.

Para quem não sabe, e não quer ir espreitar o outro post, uma Anti-bucket List nada mais é do que uma listagem das coisas boas que fizemos e conseguimos, uma palmadinha congratulatória no ombro imaginário pelos dias difíceis em que nos levantamos da cama e vivemos esse dia, fazendo dele algo bom, sem nos deixarmos abater. Basicamente não somos a melhor pessoa de sempre mas somos a melhor pessoa que podemos ser para nós mesmos, pelas coisas boas que fazemos e as quais devemos celebrar. Os pequenos feitos levam-nos longe e mais vale um pequeno feito todos os dias,  nem que seja apenas ir dar uma corrida de 15 minutos ao invés de ver mais dois episódios - ou vinte - na Netflix, do que vale um grande feito apenas uma vez ao ano.



A MINHA ANTI-BUCKET LIST DE 2017

-Mantive-me fiel à minha agenda, usei e abusei dela, enchendo-a de coisas a fazer, gastos e ganhos, trabalhos e mil memórias em forma de "coisas a fazer" ou apenas pequenas notas. A minha agenda é o reflexo do meu ano e posso dizer que foi um ano bem cheio.
-Das resoluções que tinha feito, mesmo que sem pressão alguma, consegui completar a tarefa de ler 25 livros no ano de 2017, algo que em deixou muito feliz porque me levou de novo a ter aquela vontade de devorar livros.
-Queria ter tido uma semana de férias e mesmo cheia de trabalho consegui mais. Foi o ano das viagens, cá por dentro e lá fora. Conheci São Miguel nos Açores, Miranda do Douro, Alicante, Veneza, Milão e o Lago di Como. Voltei ao Douro e passei por mais alguns locais maravilhosos neste nosso país.
-Poupei mais dinheiro do que o que esperava, mesmo assim gastei mais do que aquilo que queria. Houve despesas necessárias, outras que me deixaram quase a chorar mas que tiveram de ser feitas e umas quantas outras menos necessárias mas das quais não me arrependo.
-Foram mais de 50 OOTDs. Se queria ter mais de 35, o número total de 2016, então consegui e mais do que consegui. Tirando esta última semana, todas as Sextas havia um OOTD novo. Gostei mas não sei se a façanha é para voltar a repetir.
-Venci mais um desafio de NaNoWriMo e fiz o dia com mais palavras de sempre - 8,587 -  e foi o ano em que mais escrevi com um total de 66,254 palavras.
-Completei mais um Advento, tudo com material original.
-Foi super honesta e falei sobre temas mais controversos, ou pessoais. Falei sobre o meu corpo, o ser solteira, o ser mulher, o ter medo, a ansiedade e tanto mais.
-Fui convidada pela EUIPO e a União Europeia para um workshop sobre Propriedade Intelectual, em Alicante, uma honra que me levou a conhecer pessoas maravilhosas e a debruçar-me sobre um assunto que me é tão próximo.
-Foi um ano cheio de trabalho. Casamentos, batizados, sessões de família, de gravidez. Tanta coisa boa que me deixou feliz, a sentir-me realizada enquanto fotógrafa e com vontade de fazer tanto mais.
-Foi um ano cheio de beleza e comida...e que coisa maravilhosa que é para alguém que gosta tanto dessas duas coisas como eu!
-Fui feliz, mas mesmo muito feliz!

ALGUMAS FOTOS DO MEU ANO














Uma vez mais desafio-vos a todos, sem excepção, a fazerem o mesmo, quer seja de um modo público, num papel, só para vocês mesmo ou em pensamento. Acreditem que vale a pena, e a felicidade aparece porque as pequenas coisas tornam-nos pessoas melhores e é assim que devemos encarar cada novo ano, dia e tarefa...e tudo mais!






Joana, 28 anos e natural da cidade do Porto. 
Sou uma fotógrafa de profissão, louca por viagens e sempre com demasiadas opiniões para dar. 
Este é o meu blog no qual escrevo desde 2009 e ele já mudou tanto quanto eu mudei ao longo destes últimos, quase, 10 anos.

INSTAGRAM