SLIDER

Olá, eu sou a Joana - a cara por detrás do The Paper and Ink. Vinte e muitos anos, natural e residente da belíssima cidade do Porto, sou uma fotógrafa e blogger que em 2009 criou este espaço em busca de uma maneira de dar a conhecer ao mundo a minha voz, as minhas ideias e paixões. O TPI é um lifestyle blog, ou seja, é um pouco de tudo o que marca a minha vida, me apaixona e que acredito ser importante partilhar.


Muda

Muda Restaurante-Bar Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Conhecer novos locais no Porto para partilhar convosco e com quem mais gosto é de facto algo que adoro fazer. Se assim não fosse nem me dava ao trabalho de criar guias, tirar fotos, perder horas com textos e pesquisas, mas isto é de facto algo que me deixa contente quando recebo feedback desse lado. Foi por essa razão, e para comer, que aceitei um convite da Zomato para mais um foodie meetup, desta vez no Muda, em plena Baixa do Porto.


Mesmo sendo algo para o qual foi convidada gosto de ser bastante sincera e dar uma opinião justa sobre o que acho ou não, portanto aqui vamos nós, com todos os pontos altos e baixos. 

Não conhecia o espaço, apenas a rua onde fica, e posso dizer que está extremamente bem localizado a menos de 100 metros da Torre dos Clérigos,  na zona das Galerias. Em si o espaço tem um bar na entrada e um restaurante dois pisos acima. A decoração é giríssima, simples mas ao mesmo tempo bastante moderna, sem perder o toque que faz com que nos sintamos em casa. Na verdade o meia-luz e os apontamentos do espaço convidam a mesas com amigos, com comida e muita conversa.


O Muda surgiu à cerca de 2 anos, foi mudando muito, tal como o nome o sugere, e é hoje aquilo com o qual sonharam desde que abriu. Tem uma carta única, serve em todo o horário em que está aberto, do almoço às 2 da manhã e tem petiscos para partilhar e pratos mais compostos.

O serviço foi muito simpático mas não é algo sobre o qual possa falar. Este foi um jantar combinado, com um meet-up da Zomato portanto estavam à nossa espera, com um serviço já pensando. Mesmo assim volto a ressalvar a simpatia de todos os funcionários desde o momento em que entramos no espaço.

Agora o que importa, a nossa ementa foi a seguinte, pelo que consegui fazer a ligação entre as minhas fotos e a ementa do restaurante.

Couvert (azeitonas kalamata, manteiga aromatizada, mix de pães, azeite extra virgem)

Um mix de pães cozidos no próprio local, acompanhados com manteigas aromatizadas que vão mudando consoante a semana e ainda azeitonas kalamata curtidas pelo próprio restaurante e azeite virgem extra. Posso apenas falar sobre o pão, já que o resto não provei porque não quis. O pão, especialmente o da alfarroba é óptimo, super fresquinho e apetecível, no nosso caso ainda estava morno o que o tornava ainda mais apetecível.

Ovos rotos com cogumelos e espargos

Ceviche de peixes

Bife tártaro, gema, rúcula e tosta de pampernickel

Salmão curado em vodka e beterraba, migada de edamame, shitake grelhado

Aqui tenho de destacar o bife tártaro e acima de tudo os ovos rotos. Os últimos diferentes do habitual, sem batata, mas com uma dose de cogumelos e queijo que a mim me deixaram absolutamente deliciada. Perfeitos para acompanhar o pão e rapar a fundo o tachinho-

O bife tártaro super fresco, bem preparado e acima de tudo bem condimentado sem ser em demasia. As tostinhas de pampernickel - um pão de centeio muito escuro alemão - são veículo perfeito para comer esta entrada.

Claro que também gostei bastante do salmão, a beterraba nota-se pouco e a migada de edamame, que quase lembra uma fava de sabor mais suave, é igualmente bom, mas os dois primeiros levam o "prémio" para casa. Já o ceviche não me deixou rasto na memória, não é que não o recomendo, mas apenas não o aprecio.

Risotto de cogumelos trufado

Bacalhau fumado, aveludado de grão-de-bico, telha de tinta de choco, crocante de cebola e coentros

Naco de vitela na pedra, acompanha com 2 batatas a tempos, palitos de queijo, salada e molhos de: mostarda com mel, pimentas e vinho do Porto

O risotto não era suposto ser provado, mas como alguém na mesa não comia carne lá veio um prato extra que passou por entre todos os presentes - que nem uma família verdadeira - e provamos. É maravilhoso! Eu sou louca por risotto, especialmente de cogumelos e este foi dos melhores que já provei, bem confeccionado, com bastantes cogumelos e aquela cremosidade certa.

O bacalhau deixou um pouco a desejar. Apesar de gostar de bacalhau e de grão, não fiquei muito feliz com este prato. O bacalhau é fumado o que por si só já lhe dá um sabor forte, então quando juntamos uma aveludado de grão temperado com bastantes cominhos torna-se um prato de sabor muito pesado, quase exageradamente salgado. O crocante de tinta de choco torna-se mole demasiado rápido e deixa de ser crocante. Não é mau prato mas acho que precisava de ser rectificado. 

O naco de vitela na pedra é bom, é mais bife que bife de vitela,  neste caso de carne argentina, mas mesmo assim a carne é super tenra, pode ser mais ou menos passada e os acompanhamentos, apesar de achar que a dose de batatas é escabrosamente pequena, ligam muito bem com a carne. Os molhos são óptimos, especialmente o de mel e mostarda, mas essa é uma opção pessoal. A melhor parte são mesmo os palitos de queijo, esses sim podiam ser uma entrada por si só.

100 folhas de frutos vermelhos e creme de rum com sorvete de framboesa

Tarte de lima-limão merengada 2.0

Lingote de chocolate e frutos secos com gelado de vinho do Porto

As sobremesas foram três, todas para partilhar tal como tudo o resto. Aqui as opiniões não foram de todo unânimes. Posso dizer que a apresentação aqui feito é a exacta ordem dos meus favoritos.

Claro que eu sou das que prefere frutas a chocolate, e com frutos vermelhos então nem se fala. O cem folhas - não mil - é simples mas divinal, a dose de doce certa para acabar uma refeição. O rum pouco ou nada de nota e o sorvete é bom, mas o que vale mesmo a pena é o cem folhas em si.

O segundo lugar foi para a tarte de lima-limão, de modo muito renhido com o primeiro. É uma versão desconstruída, com placas de merengue, gelado de lima-limão e ainda gelado de maçã verde - algo que me deixou super feliz porque é dos sabores que mais gosto e pouco se encontra.É simples, doce q.b. e limpa bem o palato para rematar um jantar mais cheio.

Finalmente o lingote de chocolate. O lingote em si é bom, a pequena trufa também, mas não acho que seja nenhuma especialidade. Para os gulosos amantes de chocolate certamente que fará as delícias mas fiquei muito decepcionada com o molho de chocolate ser daqueles de garrafa, com um travo de vanilina, algo que odeio e acho que fica mesmo muito mal.

Foi um óptimo jantar, para conhecer um novo espaço, uma ementa muito boa e apenas posso agradecer ao Muda e à Zomato por esta oportunidade. É um espaço que recomendo, mas não é um local propriamente barato, diria que está numa gama de preços médios-altos, talvez mais perfeito para uma ocasião mais especial.

1 comment

  1. Ainda não tinha ouvido falar deste restaurante, mas parece-me realmente muito bom! Adorei as fotografias e o ambiente!

    Beijinhos!
    MESSY GAZING

    ReplyDelete

Cookies, Política de Privacidade e Segurança

© The Paper and Ink