SLIDER

Olá, eu sou a Joana - a cara por detrás do The Paper and Ink. Vinte e muitos anos, natural e residente da belíssima cidade do Porto, sou uma fotógrafa e blogger que em 2009 criou este espaço em busca de uma maneira de dar a conhecer ao mundo a minha voz, as minhas ideias e paixões. O TPI é um lifestyle blog, ou seja, é um pouco de tudo o que marca a minha vida, me apaixona e que acredito ser importante partilhar.


Solo e o 4DX


De quando em vez acontece, eu venho por aqui falar sobre aquele lado mais artístico da vida, que seja na forma de sétima arte, de livros, de fotografia, do que quer que seja. Cresci a adorar arte, estudei artes no secundário e no superior, e como fotógrafa a minha está intrinsecamente e obviamente ligada à arte de qualquer forma que seja.


Hoje o tema é o novo filme da saga Star Wars, ou melhor dizendo do extended universe de Star Wars, uma vez que a trama se passa cronologicamente entre os filmes 3 e 4 - tal como o Rogue One - mas neste caso tema uma das personagens mais conhecidas e adoradas de toda a saga, o Han Solo.



A Disney tinha de fazer "render o peixe" depois de ter comprado a Lucasfilm e começar a fazer histórias de outras personagens criando assim pano para mangas num universo mais extenso em redor da saga original, era o caminho certo a tomar.

O Solo: Uma história de Star Wars é o primeiro de outros filmes que vão acontecer dentro deste género, pegando numa personagem conhecida, fora da família Skywalker e trabalhando uma parte da sua vida que o público ainda desconhece mas sobre a qual já tinha ouvido falar. Se não estou em erro a próxima personagem a ter um filme do género será o Obi-Wan Kenobi, se bem que já ouvi que seria também o Boba Fett. Para mim era mesmo um filme de 90 minutos sobre o Chewbacca e sem legendas!


Sem querer entrar em grandes spoilers nem nada do género, vou falar daquilo que achei. Obviamente que vai haver um ou outro spoiler, portanto quem não quer mesmo saber nada daquilo que se passa no filme, desligue agora ou tenha em mente que eu avisei atempadamente sobre o assunto.


Não fui ver o filme com expectativas elevadas, especialmente porque cresci com o bad boy do Harrison "Sexy" Ford a ser o Han Solo que sempre tive na minha imaginação no que toca a Star Wars. Como é claro que o gajo leva caro e era impossível era parecer que tinha 20 anos de novo, a nova aposta recaiu no Alden Ehrenreich, um actor ainda muito pouco conhecido, algo que tem sido asopção para os filme mais recentes do Star Wars.

Mesmo assim ao seu lado apareceram nomes como Emilia Clarke - a Daenerys da Guera dos Tronos - , Donald Glover - que tem feito sucesso como Childish Gambino - , ou Woody Harrelson.

Em termos de desempenho o Alden tem aquela bad boy vibe necessária para fazer de Han Solo, aquele sorrisinho que derrete corações e tudo mais, mas falta-lhe um algo mais, desde a própria representação que em partes me pareceu um bocadinho forçada, até à expectativa que se queria por já se ter o Harrison Ford como referência máxima nesta personagem.

Não estou a dizer que seja mau, mas é diferente, não seria aquela opção óbvia para mim, mas acho que mesmo assim há parecenças físicas que tinham de ser preenchidas para se conseguir dar alguma credibilidade à coisa.

Já a Emilia é um amor, adoro a personagem dela e cá para mim a Qi'ra - a personagem - ainda dá pano para mangas, pelo menos pelo que se vê no final do filme, em que volta a aparecer o Darth Maul, aquele bichano vermelho que não aparecia desde a Ameaça Fantasma, o episódio 1 de Star Wars.


A história em si é bem mais interessante. Conhecemos parte da origens do próprio Han Solo, aquele primeiro amor - tipo, wait what??? Houve outra antes da Leia? - e o aparecimento da Millennium Falcon. Para além da nave mais famosa desta vida, também vemos a famosa história da corrida dos 12 Parsecs e a Kessel Run, que se houve falar durante o episódio 4 ou 5 da trilogia original.

A história traz também o aparecimento do Lando Calrissian - desempenhado pelo Donald Glover , que honestamente não tem um desempenho nada brilhante - e o mais famoso, mais peludo, mais amoroso e leal ser de várias galáxias, o Chewbacca - Chewie for friends.


A história é boa, apesar de não ser extremamente complicada, mesmo assim existe aquela sensação do "queremos e precisamos de saber mais", porque isto quando se criam novas personagens o mais certo é os fãs quererem cada vez mais...e mais...e mais!

Acho que a ideia de expandir o universo e começar logo com umas das personagens mais icónicas foi sem dúvida uma golpada de génio, porque apesar de eu ser das que manda vir porque a Disney está a prolongar isto de modo interminável, espremendo esta história até ao tutano, a verdade é que estou lá prontinha para ver cada novo filme, acho que é mesmo esse o encanto do Star Wars.


O filme foi dirigido pelo Ron Howard - juntamente com Phil Lord e Christopher Miller -, que já recebeu um Oscar com o filme Uma Mente Brilhante, e realizou os filmes dos livros do Dan Brown, portanto não é alguém novo nem desconhecido atrás desta última grande produção e isso nota-se. Juntamente com a direcção de Kathleen Kennedy, este filme tem uma boa história, uma excelente cinematografia e no geral pontuava-o bastante bem com as falhas mais óbvias na parte da representação, mas sem ser nada de alarmante.

Não é um filme para ser visto com grande expectativas, coisa que eu faço sempre desde que a história passou para as mãos da Disney que, claro está, tem de fazer render bastante bem os milhões que pagou pela Lucasfilm e pelo Star Wars. Mesmo assim aconselho aos fãs, e mesmo aos que não sejam, é um bom filme para entreter e que não deixa muito espaço aborrecimento com boas piadas lá pelo meio.


Finalmente, para rematar, a experiência 4DX 3D. Primeira vez a ver um filme com esta tecnologia, apesar de já ter andado em algumas diversões no estrangeiro com os efeitos 4D, especialmente em movimento e borrifos de líquidos.

Neste caso foi mesmo para aproveitar uma campanha da NOS em que ofereciam um bilhete na compra de outra, em qualquer modalidade - coisa que não acontece por norma - quer fosse normal, 3D, IMAX ou 4DX 3D. Optamos por experimentar o 4DX, eu e o pai, já que custava apenas mais 1€ que o IMAX e assim era algo novo.

No Porto apenas temos este tipo de sala no Gaiashopping e portanto foi lá que vimos o filme. A sala não é grande e faz sentido. As cadeiras são agrupadas em módulos de 4 para não sobrecarregar o sistema de propulsão, vibração e tudo mais e são uns cadeirões confortáveis, com suporte de pés.

Honestamente podiam ter uns cintos, os assentos tornam-se escorregadios com certas peças de roupa e alguns movimentos mais bruscos obrigam-nos a agarrar os braços das cadeiras, não que dê para sair disparado de uma cadeira fora mas é um bocadinho bruto.

Há várias precauções no início do filme, o 4DX não é apto para pessoas com menos de 1,20m, grávidas, idosos, pessoas com certas doenças ou mobilidade reduzida e entende-se bem porquê. Algo que também avisam é não usar roupas que se possam danificar facilmente uma vez que há esguichos de águas, lançamento de fumo e tanto mais.

Pessoalmente aconselho as meninas a ter cuidado com as carteiras, manter as mesmas no colo não é a melhor opção, portanto optem por algo pequeno que possam ter ao tiracolo mesmo durante o filme. Comida também...bem, imaginem que podem voar a qualquer momento, o mesmo com bebidas mesmo as cadeiras tendo suporte para as mesmas.

A experiência em si é divertida, acho que o 3D - que é normal - estraga um bocadinho a experiência porque torna o filme mais escuro - sendo que ele já o é naturalmente - e notei que durante o lançamento de fumo - penso que seja gelo seco uma vez que é inodoro - a zona do ecrã fica com menos visibilidade do que aquela que seria esperada.

Os bilhetes custam 12€ por pessoa, no nosso caso foi 2 por 1, mas acho que é porreiro para se experimentar uma vez, mas não para se tornar um hábito, já que apenas funciona com filmes com bastante acção e momentos em que seja pertinente o uso de movimento, cheiro ou outros.


1 comment

  1. APOIO A IDEIA DO FILME DO CHEWIE! :p Eu gostei do filme, mas lá está: já se sabe mais ou menos o final :p anyway, aprovo e aconselho também!

    Jiji

    ReplyDelete

Cookies, Política de Privacidade e Segurança

© The Paper and Ink