Os blogs de lifestyle morreram?



Acho que começa a parecer que o que me dá sempre vontade de vir aqui escrever e partilhar é o criar de publicações que funcionam como mote e tópico para discussões sobre assuntos que me vêem à cabeça e não me largam durante dias a fio. É verdade, mas de facto trazer conteúdo que gera burburinho e interacção pode ser o grande feito de alguém que tem um blog mas para mim é mesmo algo que me deixa contente. Sendo assim e achando que já perceberam bem o tema, vamos lá falar sobe isto.

Tenho ouvido com frequência falar-se sobre o desinteresse crescente não apenas por blogs mas mais especificamente pelos blogs generalistas ou de lifestyle. Parece que agora o que está a dar é apostar em blogs de nicho, onde se aborda um a dois tópicos apenas, do género "revista da especialidade" e pouco mais. Se por um lado faz imenso sentido, porque se torna mais fácil para alguém que quer pesquisar ou ler sobre um determinado assunto, ir a um blog em que o tema é só um, de minha parte acredito que os blogs mais generalistas e menos focado num só tema ainda têm o seu espaço, tal como tem uma revista que começa a falar sobre produto de beleza, passa por moda, tocando na actualidade e acaba com sugestões de locais a visitar e para onde viajar.

A meu ver, quando bem estruturado, um blog pode ter uma audiência abrangente, que tanto pode querer ler sobre viagens, como ler sobre cremes de rosto. Já por isso, e falo por mim e outros que conheço, temos separadores com cada tema para que ninguém tenha de andar a perder tempo com ler aquilo que não lhe interessa. 

Claro que os blogs são cada vez menos lidos, ainda existem grandes blogs contudo, mas o foco começa a incidir nas redes sociais de "gratificação instantânea" do género do Instagram. Nada contra isto, adoro e passo horas lá metida, adoro imagens bem pensadas, bonitas, que contem algo, mas entristece-me perceber que cada vez menos as pessoas lêem um parágrafo que seja, mesmo que seja numa rede social e que seja algo com mais de 2 linhas de texto. Vivemos numa era do resumo rápido, lido às três pancadas e na diagonal, porque se por um lado dizem não ter tempo, por outro não fazem por o ter e cada vez mais se vê o tempo a ser gasto noutras coisas.

Não digo com isto tudo que uma pessoa devia tirar 1 hora do seu dia para ler blogs, mas se ainda há que quem como eu escreva, obviamente não será para ter alguém a perguntar nos comentários algo que está explícito no texto. Por vezes penso se a interpretação de textos ainda é algo que se dê nas escolas nos dias que correm, se ainda se lêem textos, livros e tal, ou se apenas se ensina o que tem de se saber, empinar e pouco mais.

Com isto já acabei por me desviar do tema, sabem como sou, mas para mim os blogs de lifestyle não morreram, apenas têm de se fazer mostrar e marcar pela diferença, mesmo que sejam abrangentes, que tenham um grande leque de tópicos. Este ano será o 10º aniversário do The Paper and Ink, o meu blog que já esteve para ser "descontinuado" uma série de vezes, isto até eu me aperceber que tinha de voltar à sua essência mais pura, ao que fazia em 2009. Era o verdadeiro blog de lifestyle, falava sobre tudo, o que queria, o que fazia, não pensava em número, em parcerias, queria apenas contacto com pessoas, falar, escrever e procurar outros com interesses e paixões semelhantes.

O blog cresceu imenso em 10 anos, estagnou, tentou ser muita coisa mas agora é aquilo que eu gosto que seja, um bocadinho de tudo, com tópicos no cima da página para que ninguém se perca, para que não se aborreçam com coisas que não vos interessam. Em 10 anos dei a volta e voltei ao princípio, ao que me fazia contente e me incentivava a escrever.

Os blogs de lifestyle não morreram, os blogs de nicho são óptimos, mas os blogs são feitos por pessoas e essas pessoas são um misto de muita coisa, incluindo paixões, experiências, feitos e tanto mais. Algumas decidem partilhar o seu tudo, outras apenas o que adoram verdadeiramente. Ainda há muitos que procuram a fama e fortuna, é possível, mas também há aqueles que fazem isto por outros motivos, pela piada da coisa e voltar a essa fase é realmente uma lufada de ar fresco.

3 comentários:

  1. Concordo com tanto do que falaste, mesmo eu sendo "consumidora" de instagram, não consigo ainda deixar de espreitar blogs.
    E concordo especialmente quando tocas na parte de sermos pessoas e sermos feitos de várias paixões e experiências... não poderia concordar mais !
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. Os blogs de lifestyle não vão morrer enquanto os bons blogs como o teu continuarem por cá :p ainda há uns meses escrevi sobre isto também...mas a verdade é que voltar às origens funciona. Quando mandei as parcerias às urtigas e me foquei em publicar o que gosto, como gosto, o blog regressou em força - e, estando eu à espera que continuasse meio mortiço, a verdade é que parece que quem está do outro lado se apercebeu, porque também senti que voltaram lá :) são fases. E é claro que o blog nunca nos renderá o sucesso de uma influencer de Instagram, mas enquanto nos fizer felizes, isso é que importa! <3

    ResponderEliminar
  3. O teu último parágrafo disse tudo. Eu pessoalmente continuo a preferir blogs, não sou especialmente fã do conteúdo imediato, mas lá está, não somos todos iguais - e ainda bem! Ser um blog de nicho, um blog pessoal ou um blog de lifestyle não diminui de todo o seu conteúdo, o que interessa é sem dúvida quem escreve!
    THE PINK ELEPHANT SHOE

    ResponderEliminar







Joana, 28 anos e natural da cidade do Porto. 
Sou uma fotógrafa de profissão, louca por viagens e sempre com demasiadas opiniões para dar. 
Este é o meu blog no qual escrevo desde 2009 e ele já mudou tanto quanto eu mudei ao longo destes últimos, quase, 10 anos.

INSTAGRAM